A Mochila da Motivação

A Mochila da Motivação

Setembro chegou e com ele chega também a preparação para a entrada no novo ano lectivo. Muitas são as questões, expectativas, e também a motivação para a nova etapa. A atmosfera é de novos conhecimentos, novas amizades, novos/as professores/as, novos projectos, metas e objectivos renovados. É uma fase de desafios, em que todos devem estar envolvidos com compromisso para que o início das aulas se torne um processo natural, em vez de causa de stresse acrescido. Será benéfico a família assumir um pilar de segurança e conforto para esta transição.

Sabemos que no dia-a-dia os tempos estão cronometrados, que cada elemento da família tem as suas tarefas a desempenhar, o que requer um cuidado maior para conciliar responsabilidades, mas também assegurar momentos de partilha e de convívio. Importa aqui ter a motivação como um motor de conciliação e perseverança, de resistência e superação, e também de entrega, ânimo e realização.

Do latim “moveré”, o conceito de motivação significa força que faz ter determinada atitude, ou realizar determinada tarefa. A motivação assenta em pontos, biológicos, emocionais e sociais, permitindo que as pessoas iniciem e sejam capazes de manter posturas que as permitam conquistar o que desejam.

No início do ano lectivo nota-se mais motivação para se dar o melhor, estudar desde cedo…mas se a motivação não for cuidada essa vontade inicial acaba por enfraquecer.

Como nutrir a motivação?

Estratégia útil para pais e mães, alunos/as e professores/as consiste em ver a motivação como algo a desenvolver e mimar ao longo dos dias, tendo consciência do que está realmente envolvido nesta fase. Para que a motivação seja nutrida, importa lembrar do que se pode realizar através deste passo, que objectivos vão ser alcançados, que emoções estarão presentes no final desta etapa se esta for bem sucedida.

Também realçar os valores que assegurem esta transição de forma saudável é extremamente útil, como a confiança, compromisso, desenvolvimento, entrega, autonomia, ‘profissionalismo’, auto-cuidado, cada elemento da família pode, e deve, dar atenção a mais áreas de vida que permitam gratificação pessoal (para além da escola e do trabalho), tendo satisfação igualmente válida através de momentos em família, atividades desportivas e de lazer, interesses, desenvolvimento, descanso, brincadeiras, objectivos conjuntos, para obter equilíbrio de vida. O que é importante para o núcleo familiar deve estar assegurado.

Esta fase requer preparação e motivação, sendo como uma viagem onde se asseguram as condições de início assim como todo o percurso; chegar ao destino pode ser divertido, com segurança e responsabilidade.

Pensando em si como aluno/a ou elemento da família, o que colocaria na sua mochila para esta viagem?

Helga Gonçalves

Psicóloga Clínica, Coach e Facilitadora de Cura Reconectiva