Psicoterapia Interpessoal

A Terapia Interpessoal baseia-se num modelo biopsicossocial para a compreensão mental e emocional, tendo como base a teoria da vinculação, da comunicação social e interpessoal. É uma forma de tratamento de tempo limitado, focal, centrado no aqui e agora, que tem por objectivo o auto-conhecimento e a regulação emocional. Contempla, também, o alivio do sofrimento através da melhoria do funcionamento interpessoal.

 

A TIP contextualiza os problemas interpessoais em quatro “áreas-problema”, consideradas focos do trabalho ao longo da terapia:

  • Perda e/ou Luto (patológico);
  • Conflitos interpessoais;
  • Transição de Papel (mudanças);
  • Sensibilidade interpessoal.

 

O foco da intervenção do/a Terapeuta será no âmbito dos relacionamentos interpessoais actuais da pessoa que acompanha, melhorando a sua capacidade de comunicação e ajudando-a a usar o seu suporte social. Em conjunto, elegerão uma ou duas “áreas-problema” como focos interpessoais a serem trabalhados.

 

As metas da psicoterapia são:

  • diminuir as resistências,
  • potencializar na pessoa a esperança de melhoria;
  • trabalhar as habilidades de comunicação para a construção de uma rede social, que em conjunto levarão à diminuição dos sintomas/alcance dos objectivos pretendidos.

 

A TIP está dividida em três fases de tratamento (inicial, intermédia e final), existindo a possibilidade de manutenção para casos específicos. O modelo clássico de tratamento está estruturado em 12 sessões.

 

Esta terapia interpessoal (TIP) é uma psicoterapia breve desenvolvida também para o tratamento de pessoas com:

  • sintomatologia depressiva/depressão,
  • ansiedade,
  • transtorno bipolar,
  • stress pós-traumático,
  • transtornos alimentares (bulimia, compulsão alimentar periódica, quadros depressivos em adolescentes e idosos).